quarta-feira

O Guardador de Rebanhos



Mas se Deus é as árvores e as flores
e os montes e o luar e o sol,
para que lhe chamo eu Deus?
chamo-lhe flores e árvores e montes e sol e luar;
porque, se ele se fez, para eu o ver,
sol e luar e flores e árvores e montes,
se ele me aparece como sendo árvores e montes
s luar e sol e flores,
é que ele quer que eu o conheça
como árvores e montes e flores e luar e sol.
e por isso eu obedeço-lhe,
(que mais sei eu de Deus que Deus de si próprio?),
obedeço-lhe a viver, espontaneamente,
como quem abre os olhos e vê,
e chamo-lhe luar e sol e flores e árvores e montes,
e amo-o sem pensar nele,
e penso-o vendo e ouvindo,
e ando com ele a toda a hora.

Alberto Caeiro

2 comentários:

pipocas disse...

Achei o seu blog muito interessante. Vou visitá-lo mais vezes.
Continue a sua caminhada da leitura e da escrita que nos alimenta. Talvez isso seja uma parte de deus juntamente com as àrvores e as flores ;)

Cry me a River disse...

pipocas:
Obrigada, és muito bem vinda.